Recife destaque

Carmenses no Recife

Pontes de Recife
Pontes de Recife
Tivemos, recentemente, a oportunidade de visitar nossos jovens conterrâneos que residem no Recife, Pernambuco. Retornamos de lá com a melhor das impressões sobre a cidade, o trabalho que eles realizam e a convivência dessas famílias entre si.
Recife é uma cidade agradável, com um povo simpático e hospitaleiro, que recebe a todos de braços abertos e o coração ansioso para conquistar mais um amigo. Existe uma extrema facilidade de se iniciar uma conversa com qualquer desconhecido na rua, pois o recifense está sempre disposto a esclarecer uma dúvida, dando sua opinião franca sobre qualquer assunto. Já sendo uma cidade cosmopolita, a todos recebe com cordialidade e alegria. Este espírito extrovertido e amistoso conquistou os nossos jovens conterrâneos que já se integraram, de corações e mentes, ao modo de viver desta agitada metrópole.


Petroquímica Suape
Petroquímica Suape
Egressos das excelentes instituições de ensino da INATEL, em Santa Rita do Sapucaí, e Faculdade de Engenharia de Taubaté, nossos jovens participam do esforço de construção da primeira refinaria de petróleo com 100% de tecnologia nacional, a Refinaria do Suape (Refinaria Abreu e Lima), no município de Ipojuca, na região metropolitana do Recife. O Complexo de Suape configura-se, hoje em dia, no principal pólo de implatação de investimentos do país, baseada na estratégica concepção porto-industria. Já conta com mais de 100 empresas em operação e outras 50 em implantação. Entre elas, indústrias de produtos petroquímicos, químicos, metal-mecânica, naval e logística. Suape é um dos orgulhos da capacidade de planejamento e trabalho do povo pernambucano.

Os Carmenses

Divididos em três núcleos familiares, residindo no bairro da Boa Viagem, no Recife, encontramos nossos conterrâneos em um alegre e saudável convívio, irmanados no mesmo sentimento de solidariedade dos que se acham afastados de sua terra natal. São eles:

Família Bacelar Carneiro
Família Bacelar Carneiro
Allisson Junqueira Carneiro, engenheiro eletricista, casado com a professora Lucimara Ribeiro Bacelar, vivem em companhia de sua graciosa filhinha Lívia Bacelar Carneiro, que em breve completará 2 anos de idade.


Família Tallis-Mariana
Família Tallis-Mariana
Tallis Dias de Castro Maciel, engenheiro eletricista, casado com Mariana Evangelista Junqueira, editora desta Folha Nova.


Gordo
Gordo
Jefferson (Gordo) Antonio Oliveira, técnico eletricista, residindo em companhia de colegas de trabalho.


Praia da Boa Viagem
Praia da Boa Viagem
A localização das residências é invejável pela proximidade da Praia da Boa Viagem. O bairro oferece diversificado comércio de padarias, farmácias, supermercados, bancas de jornais e revistas, bares e restaurantes, academias de ginástica, escolas, clínicas médicas e odontológicas e muitos outros. Várias linhas de ônibus circulam pelo bairro e os pontos de taxi são espaçados a cada três ou quatro quarteirões. Em tudo demonstra um confortável padrão urbanístico, superior a qualquer cidade de nossa região. As ruas são retas e espaçosas, sendo o caminhar extremamente facilitado pela topografia plana da faixa litorânea. E por fim o mar, em visão extasiante, verde esmeralda entre a praia e os recifes, azul marinho além destes. Assim é a Boa Viagem, belo e instigante bairro desse admirável Recife.


Vista parcial da Boa Viagem
Vista parcial da Boa Viagem

Ala feminina
Em pé: Zeca, Mariana e Pamella.
Sentadas: Mariana, Manuela, Simone, Lucimara e Lívia.
Ainda como parte desse grupo, acolhidos com a mais sincera afeição, uniram-se aos carmenses as seguintes famílias:
Wagner Alberto Silva, empresário oriundo de Nova Odessa, SP, e a sua simpática e gentil esposa Juliana.
Caio Motta, engenheiro e prestativo amigo, casado com a elegante Mariana Feliciano, que já contam com a benção da existência do pequeno Zeca, de 1 ano de idade. Essa família é originária da estância turística de Tupã (SP).
Alexandre (Alemão) Alves Ferreira, engenheiro, valoroso companheiro de trabalho e de horas de lazer, casado com a recifense Vanízia Escopelli, uma agradável e tranquila amiga de todos os carmenses.
César Augusto Sodré Aires Neto, engenheiro, um pacato cidadão de São Gonçalo do Sapucaí, MG, noivo da divertida e animada Pamella Oliveira, também de São Gonçalo do Sapucaí, e que com frequência visita Recife, levando a graça de sua presença para animar a todos.
Claudio Teixeira Junior, engenheiro, natural de Sertãozinho, SP, que vive a sorrir por ter encontrado a felicidade ao lado de sua atenciosa futura esposa Manuela, competente fisioterapeuta recifense, incondicional amiga de todos os membros desse unido grupo.
garfield
Qualquer semelhança é mera coincidência
E, finalmente, Anderson (Garfield) V. Silva, técnico eletricista, natural do Estado de São Paulo, mas que traz a cidade de Mucuri, BA, no coração.

Onde moravam em Carmo de Minas

O Carmo guarda saudades de todos esses jovens, que partem para terras distantes em busca de realização profissional. Aqui continua a existir um lugar, um cantinho que, mesmo sendo humilde e bucólico, anseia pela volta dos filhos desta terra para recebê-los em exageros de abraços, afagos e mimos, como só em nossa casa encontramos. Assim é o mistério de nossa relação com a terra natal, que nos faz desejar a troca de um apartamento na Boa Viagem por uma humilde casa nas ladeiras do Carmo.
Aqui apresentamos algumas dessas casas, tão caras aos corações de nossos filhos ausentes:
A casa dos pais da Mariana situa-se na rua João Coelho (a rua da Folha Nova), sendo a de cor amarela com dois andares.

Casa da Mariana
Casa da Mariana

Os pais de Tallis tem como residência um apartamento no prédio da Lagoa (em reforma), na rua Vicente Ferreira, ao pé da praça Professor Brito.
Casa do Tallis
Casa do Tallis

Era nessa casa, na rua Vicente Ferreira, onde Allisson morava e que hoje abriga sua estimada avó, Dª Elza.
Casa do Allisson
Casa do Allisson

A família de Lucimara reside neste sobrado, ao lado da ladeira Gabriel Ribeiro, esquina com a rua Visconde do Rio Branco.
Casa da Lucimara
Casa da Lucimara

O Gordo passou sua infância nesta casa, no bairro Santo Antonio (Tieta), onde adorava jogar no campinho de grama da várzea.
Casa do Gordo
Casa do Gordo

Os pais do Jefferson (Gordo) foram os únicos que encontrei, além da Dª Elza, quando tirei as fotografias das casas. O correto e popular vereador Robertinho, Roberto Oliveira Neto, e sua esposa, Maria do Carmo Bento Oliveira, fizeram questão de mandar uma mensagem de carinho repleto de saudade do filho, que para Dª Maria do Carmo será sempre tratado por Gordinho.
Robertinho e Maria do Carmo
Robertinho e Maria do Carmo

Novas amizades, novas famílias

Em meados do século passado meus pais, também por motivos profissionais, fixaram residência em Belo Horizonte. Naquela época uma viagem de carro entre Belo Horizonte e Carmo de Minas era muito mais demorada e temerária que uma viagem de avião entre São Paulo e Recife. Afastados do convívio das famílias carmenses, passamos a considerar os colegas de trabalho de meu pai como verdadeiros tios. Com o tempo, esse relacionamento afetivo passou a ter força de uma ligação familiar, a tal ponto que quando meu pai faleceu, aos 94 anos, foi o último desses colegas de trabalho, o tio Elesbão, quem acompanhou por todo o tempo o seu féretro e deixou, nessa despedida, suas lágrimas sentidas como se houvesse perdido um irmão.
A mesma ligação de sentimentos deve estar brotando entre essas jovens famílias no Recife. Assim, tenham certeza, o retorno à casa de cada um de vocês alegra todas as demais casas. Se no Recife vocês encontraram novos irmãos e ganharam novos sobrinhos, aqui no Carmo nós ganhamos novos filhos.

9 comentários em “Carmenses no Recife”

  1. Fiquei muito emocionada com tudo que li! Obrigada por registrar o nosso “ciclo de ouro”.

    Abraços,

    Família Bacelar Carneiro

    1. Gilberto Arantes Junqueira

      Durante um animado encontro com os carmenses do Recife, no restaurante Paranóia do Mar, tive oportunidade de comentar a minha visão de ciclos pelos quais somos envolvidos durante vida.
      O atual momento desses nossos conterrâneos foi considerado por mim como um ciclo de ouro, em que a vida parece nos sorrir. Ciclo esse que, com toda a justiça, eles são merecedores.
      Esse foi o motivo da citação feita pela Lucimara.
      Aproveito para citar o poeta romano Horácio: “Carpe diem” (aproveite o momento presente e dele retire todas as suas alegrias).
      Um terno abraço.

    1. Gilberto Arantes Junqueira

      Estamos trabalhando na edição de imagens da Basílica Menor do Carmo, no Recife. São muitas as fotografias, o que demanda algum tempo de trabalho, talvez uma semana.

  2. Wagner e família VKriana

    Embora não seja Carmense, gostaria de agradecer a Carmo de Minas, em meu nome e no da família VKriana, pelos filhos honrados, honestos e excelentes profissionais que trouxe a nosso convívio. Obrigado Allisson, Jefferson, Tallis e Zé Helder pela sua amizade e profissionalismo.

    1. Gilberto Arantes Junqueira

      Obrigado, Wagner, por corrigir a minha falha ao esquecer de citar o casal José Helder e Ana Helena, que foram pioneiros nesse relacionamento entre Carmo de Minas e Recife.
      Família VKriana é uma referência ao excelente ambiente de trabalho na empresa VK Engenharia, que possui três divisões: VK Projetos, VK Automação (onde trabalham os nossos conterrâneos) e VK Consultoria.
      Wagner Alberto Silva é um dos empresários fundadores da VK Engenharia.

  3. Samuel Junqueira

    Achei bem legal, acho que pode fazer matérias com o título, Filhos do Carmo, mostrando por onde andam e o que estão fazendo, trabalhando, enfim, o que se tornaram na vida.

    Abraços baiano-mineiro-belorizontino-carmense,

    1. Gilberto Arantes Junqueira

      Fica anotada a sugestão e faço agora o convite a um novo redator-autor que queira desenvolver o tema sugerido pelo Samuel Junqueira.
      “Se você deseja iniciar a autoria de artigos para a Web versando sobre temas e assuntos relacionados a Carmo de Minas, basta deixar um comentário em qualquer artigo deste blog, que entrarei em contato com esclarecimentos para suas novas colaborações.”

  4. Renata Melo

    Ai, que lindo!
    Não sei se o orgulho maior é do pai ou da filha….
    Parabéns, Gilberto, pela bela e irretocável matéria!
    Saudades de todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.