Categoria: Fátima Cléu

Sede Bem-Vindas

Autoria: Fátima Cléu. Publicado na Folha Nova, nº 1956, em 16 de Janeiro de 1955. Original, manuscrito, gentilmente cedido por Maria do Carmo Ferreira. Abriram-se os céus, em torrentes de sóis e cores, em catadupas de perfumes e de sons, para surgirem, de seus umbrais majestosos, os Anjos-Bons, que acabam de chegar a esta cidade, …

Carmo de Minas

Poesia de Fátima Cléu, a pedido da professora Gueisa Maria Costa Brito, para as comemorações do aniversário da cidade, no ano de 1970. És a cidade mais bela deste grande Sul de Minas: teu céu é todo estrelado, flores cobrem-te as campinas. Lindo Carmo idolatrado! Como esplende este teu dia! Tudo canta e tudo vibra, …

Anseio

Autoria: Fátima Cléo. Publicado na Folha Nova, nº 948, em 20 de Maio de 1934. Compreendo bem a tua indiferença, Sem compreender meu grande amor por ti… Só sei que para o teu amor nasci, E que tenho vivido em treva densa. Longe do teu carinho, na descrença, Amaldiçoei a vida que vivi. Mas, súbito, …

Desalento

Autoria: Fátima Cléo. Publicado na Folha Nova, nº 937, em 25 de Fevereiro de 1934. Depois de um dia triste, a noite chega, triste e chuvosa, mais triste ainda… E as gotas, da chuva que desce do infinito nas trevas, muito serena como um sussurrar de prece, são soluços que se transformaram no espaço, são …

Moldura de Afeto

Autoria: Fátima Cléo Publicado na Folha Nova, nº 1536, Em 28 de julho de 1946. A Plínio Motta, o excelso, o querido poeta conterrâneo. Homenagearam-te os filhos ilustres de um rincão sul-mineiro, onde desferiste, qual celeste rouxinol, os teus hinos imortais. os teus cânticos sem par, sempre belos, sempre novos, semelhantes ao teu espírito de …

Eterno Rompimento

Autoria: Fátima Cléo. Publicado na Folha Nova, nº 1.389, em 15 de Agosto de 1943. E eras tu, grande amor, a minha vida, O meu pouso feliz, todo esmaltado Da mais terna esperança – a mais querida, O qual me parecia eternizado. Mas, numa tarde linda e inesquecida, De triste sol poente e céu lavado, …