Categoria: O Carmo de Outrora

Braz Lomônaco

Autoria: João do Rio Verde. Publicado na Folha Nova, nº 1.333, em 5 de Julho de 1942. Saudade!… Saudade!… Volta, mensageira da dor, para a tua eterna morada nas tristes alamedas dos cemitérios, por entre os mausoléus, onde só medram perpétuas ou sempre-vivas. Retorna, condutora de lágrimas, para as paragens sombrias e abandonadas, pois lá, …

São Lourenço

Autoria: João do Rio Verde. Publicado na Folha Nova, nº 1.331, em 21 de Junho de 1942. São Lourenço – a linda e pitoresca estância hidro-mineral, jóia de raro valor engastada nas cordilheiras verdejantes de Minas Gerais, onde a saúde jorra perenemente, concretizada nas suas maravilhosas águas medicinais – foi, outrora, um prolongamento do nosso …

Zeca do Pouso Alegre

Autoria: João do Rio Verde Publicado na Folha Nova, nº 1.327, em 24 de Maio de 1942. Transcrevo hoje um dos períodos com que, há pouco mais de uma ano, iniciei estas crônicas: “Leitores amigos, sou e serei sempre um pobre João da beira do rio que, deixando o seu anzol e o seu bornal …

Barão

Autoria: João do Rio Verde. Publicado na Folha Nova, nº 1.326, em 17 de Maio de 1942. Quanta vez, com o meu pensamento povoado por uma vaga e indefinida saudade, recordo-me do nosso velho e poético arraial do Carmo do Rio Verde. Desfilam, então, pela minha mente, diluindo-se em doces reminiscências, vultos que me foram …

Gabriel Dias de Castro

Autoria: João do Rio Verde. Publicado na Folha Nova, nº 1.325, em 10 de maio de 1942. Alguns séculos antes de Cristo, conta-nos a história da heróica e gloriosa Grécia, Diógenes, o filósofo cínico, com uma lanterna acesa, andava ao meio-dia numa praça pública, à procura de um homem bom e honesto. Se na era …

Antonio Coli

Autoria: João do Rio Verde. Publicado na Folha Nova, nº 1.322, em 19 de Abril de 1942. Corria o ano de 1855. O Papa Pio IX, o Grande, governava a Igreja Católica e o rei Vitor Emanuel I, pai do desventurado Humberto Primo, dirigia os destinos do povo italiano. Apesar da luta tremenda que se …