Colégio Coração de Jesus, em Carmo do Rio Verde

Transcrição da matéria publicada na Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro, edição de 11 de Julho de 1886.

Colégio Coração de Jesus

Carmo do Rio Verde

O resultado dos exames dos alunos deste Colégio, nos dias 25 e 26 de Junho do corrente ano de 1886, sob a presidência do Ilmo. Sr. Dr. José Paulino Ribeiro Gorgulho, delegado da instrução pública desta Freguezia, foi o seguinte:
Mario Noronha, aprovado plenamente em geografia, 2º ano de português e 2º de francês; Antonio Ribeiro, idem; Theophilo Ribeiro, idem em geografia, plenamente em 2º ano de francês e 1º de latim; Luciano Pereira, idem em geografia, 1º ano de latim e com distinção em 2º de francês; Herculano Ribeiro, distinção em geografia, plenamente em 2º ano de francês e 1º de latim; Gabriel de Souza, plenamente em 1º ano de francês e 2º de português e simplesmente em aritmética desenvolvida; Antonio Telles, distinção em aritmética desenvolvida, 2º ano de francês e plenamente em 2º de português; Arlindo Porto, plenamente em aritmética desenvolvida, 2º ano de francês e 1º de latim; João Franqueira, idem em aritmética desenvolvida, 2º ano de francês e 2º de português; Luciano Ferrer, idem em 2º ano de francês, 2º de português e simplesmente em aritmética desenvolvida; José Dias, plenamente em 1º ano de português e simplesmente em aritmética desenvolvida; José Macedo, plenamente em aritmética desenvolvida, 1º ano de francês e 2º de português; José Carneiro, simplesmente em aritmética desenvolvida e plenamente em 1º ano de francês e 1º de português; Mario e Silva, plenamente em aritmética desenvolvida, 1º ano de latim e distinção em 2º de francês; Fernando Moreira, plenamente em aritmética desenvolvida, 1º ano de francês e 1º de português; Manuel de Moura, idem em aritmética desenvolvida, 2º ano de francês e 2º de português; José Rezende, idem em aritmética desenvolvida, 2º ano de francês e distinção em 2º de português; Domingos Pinto, plenamente em aritmética desenvolvida e 1º ano de latim; Antonio Olintho, idem, idem e 2º ano de francês; Alvaro de Oliveira, idem em 2º ano de português, 1º de francês e aritmética desenvolvida; Urias Ximene, plenamente em 1º ano de francês, 2º de português e aritmética elementar; Abel Nogueira, plenamente em 1º ano de portugues e aritmética elementar; Vidal Alves, idem, idem, Theophilo de Andrade, idem, idem; Manuel Franqueira, idem, idem; Gabriel Francisco, idem, idem; Manuel de Souza, idem, idem; Olympio Nomenoe, idem, idem; José da Costa, idem, idem; Manuel Bernardes, simplesmente em 1º ano de portugês e aritmética elementar; Henrique Bernardes, idem, idem; Oriental Noronha, idem, idem; Frederico Silva, plenamente em aritmética elementar e 1º ano de latim; Joaquim Rezende, plenamente em leitura; Custódio Ribeiro, idem; Gabriel Ribeiro, idem, Ismael Noronha, idem; Francisco Ferraz, idem; Luiz Rubião, idem; Pedro Barbosa, idem; Manuel Carneiro, idem; Cristiano Ferraz, idem; Argentino Noronha, idem; Virgílio Bernardes, idem; Pedro Franqueira, idem; Alfredo Guimarães, simplesmente; Ordemar Pinto, idem.
Adiantados em princípios de leitura: Ovídio Junho, José de Almeida, Diaulas de Oliveira, Arnoldo Silva, Cesar Bernardes, Pedro Batista e Gabriel Guedes; deixando de comparecer um aluno de estudos secundários, por incômodo.
Concluídos os exames, a banda de música, composta de alunos do colégio, e dirigida pelo lente da mesma, Juvenal Pio Martins, saudando a almejada abertura das férias, executou o hino nacional e outras peças.
O brilhante resultado que este colégio apresenta no 3º ano de sua fundação, os melhoramentos que se tem feito e estão se fazendo, como capela e vastos salões para dormitório e estudo, convenientemente arejados, animam o seu diretor a esperar dos Ilmos. Srs. pais de família suas benévolas atenções para este recente estabelecimento de educação, onde seus filhos encontrarão, além de habilitados e dedicadíssimos professores, bons cômodos, boa e abundante alimentação, as delícias do salubérrimo clima de uma das mais ricas e importantes freguesias do Sul de Minas, situada a 12 quilômetros da linha férrea Minas e Rio, tudo por módico preço, como se vê no prospecto seguinte:

Colégio Coração de Jesus,
na Freguesia do Carmo do Rio Verde – MInas Gerais

Capítulo I
Este colégio, dirigido pelo Padre Antonio Gomes de Faria Nogueira, tem por finalidade educar a mocidade nos princípios religiosas, morais, sociais, dando-lhe, ao mesmo tempo, a instrução primária e secundária, como abaixo se vê.

Capítulo II
Haverá dois cursos: primário se secundário, distribuídos em aulas regidas por hábeis e práticos professores. O curso primário constará do programa mencionado no regulamento da instrução pública para as escolas de primeiro grau; o secundário constará de latim, francês, português, inglês, matemática, filosofia, geografia, história universal e sagrada, retórica e música.
Estão criadas presentemente as aulas do curso primário e as de latim, português, francês, geografia, aritmética e música; as outras serão criadasà proporção que houver frequência para elas, nunca menos de cinco alunos para cada uma.

Capítulo III
Recebem-se alunos internos a 250$000 pelo ano letivo de dez meses, divididos em dois pagamentos sempre adiantados e sem desconto algum, no caso que o aluno se retire antes do vencimento.
Será feito o abatimento de 10% ao pai que matricular dois filhos e o de 20% ao que matricular tres. Os alunos poderão ser matriculados em qualquer ocasião, e neste caso terão o desconto do tempo que não frequentaram o colégio.

Capítulo IV
Serão por conta dos alunos as despesas de livros e objetos necessários ao estudo, e bem assim lavagem de roupa, médico e botica; mas o colégio poderá fornecer tudo, contanto que seja indenizado no fim de cada semestre. Os alunos deverão ter decente cama, roupa suficiente para duas mudas na semana, um fato preto para os atos públicos e todo o necessário para o asseio do corpo.

Capítulo V
As férias serão do dia 30 de Junho a 30 de Agosto; fora dos meses de férias os alunos não poderão ir à casa de seus pais ou correspondentes, mas poderão passar os domingos e dias santos na povoação em companhia de seus pais, que deverão ir buscá-los pessoalmente no colégio, ou mandar um criado munido de um bilhete firmado do próprio punho.

Capítulo VI
Sendo de incontestável conveniência para os alunos os exames de preparação para a instrução pública da côrte, o Diretor se compromete a apresentá-los, isto de comum acordo com os Srs. pais, sendo as despesas por conta dos mesmos.

Capítulo VII
Os alunos que não se conformarem com o regimento interno do colégio serão punidos com repreensões e castigos corporais; no caso, porém, de grande escândalo e em desrespeito ao diretor e lentes serão punidos fisicamente ou expulsos.

Capítulo VIII
A alimentação será abundante e em comum ao diretor e lentes. O diretor fica com o direito de alterar estas disposições, se assim for necessário para a boa ordem da casa e bem estar dos alunos, e comprometendo-se a velar e cooperar o quanto de si depender para o adiantamento dos alunos e economias de seus pais, espera o apoio dos pais de família para o progresso e duração deste colégio, tão útil quanto necessário para a educação da mocidade.

Padre Antonio Gomes de Faria Nogueira.
Carmo do Rio Verde, 26 de Junho de 1886.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.