Domingos Ribeiro Franqueira

Autoria: Américo Pena.
Publicado na Folha Nova, nº 311,
em 30 de Maio de 1920.

DomingosRibeiroFranqueiraAos 27 deste mês de Maio de 1920, às 11:30 horas da noite, fulminado por uma traiçoeira e inesperada síncope cardíaca, sem agonia nem sofrimento, sereno e calmo, sem um lamento ou um ai, tombou na voragem da eternidade o nosso grande e querido amigo Domingos Ribeiro Franqueira.
Quem o viu, momentos antes, risonho e feliz, cercado de considerações e de estima, generoso e amável, mal poderia prever esse doloroso desenlace, esse brutal desfecho de um a existência preciosa.
O repentino desaparecimento desse ativo cidadão levou a todos os corações deste bom povo a mais pungente das consternações, pois tirou ao lar doméstico um chefe exemplar e ao velho Carmo um de seus mais dignos e dedicados filhos.
Ao baixar ao túmulo o corpo do dileto filho desta terra foi pronunciado um belo discurso pelo ilustre Cel. Jerônimo Guedes Fernandes, enaltecendo as virtudes e predicados excelentes do falecido, discurso esse que comoveu a toda a assistência, notando-se mui raros os que não tinham os olhos rasos de lágrimas sinceras.
Sobre o caixão mortuário notavam-se as seguintes coroas:
-A Câmara Municipal ao seu digno Vice-Presidente;
-Ao seu inesquecível compadre e amigo, Saudades de Guedes Fernandes e família;
-Ao querido tio Domingos, saudades de Maria Luiza e Argentino Arantes;
-Ao saudoso Domingos Franqueira, Carmino Pricoli e família;
-Ao boníssimo Mingo, Saudades de Miguel Altomare e família;
-Ao querido Mingo, saudades de João Franqueira e família;
-Do Colégio N. Sra. da Penha ao saudoso Domingos;
-Da família Vieira, ao saudoso Mingo.
O deputado federal, Dr. Antero Botelho, passou ao Sr. Presidente da Câmara o seguinte telegrama:
“Peço apresentar família Franqueira sinceros pêsames prematuro falecimento bom amigo Domingos. Extensivo Câmara de que fazia parte.”
O ilustre clínico Dr. Miguel Feitosa, também endereçou ao Presidente da Câmara o seguinte cartão:
“À ilustre Câmara Municipal de Sylvestre Ferraz, Miguel Feitosa envia sentidos pêsames pelo dorido golpe que acaba de sofrer com a morte de seu vereador e digno vice-presidente Domingos Ribeiro Franqueira.”
Muitos outros pêsames foram enviados à família enlutada, através de cartas, cartões e telegramas.
Em sessão especial da Câmara Municipal, no dia 28 de Maio de 1920, sob a presidência do vereador Antonio Coli Filho e com as presenças dos vereadores Pereira Penha, Junqueira de Souza, Custódio Ferraz e Reis Junqueira, foram prestadas as homenagens devidas, lançando em ata um voto de profundo pesar.
O vereador Pereira Penha pronunciou o seguinte discurso:
“A dor que veio abater a nossa vila é uma das mais intensas e das mais sinceras que o desaparecimento de um homem pode produzir na coletividade. O luto de hoje não abrange só sua família, mas toda a população do Carmo. Esse homem era bastante moço ainda, porém já era muito conhecido, considerado, respeitado e amado por todos. Era procurado como guia e conselheiro e para todos tinha palavras de conforto e coragem, dispensando sempre ilimitada atenção.
O ilustre moço que esta vila perde hoje, lega à sua família e à sociedade um nome honrado e um exemplo inexcedível de amor ao seu berço natal.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.