Dormindo

É uma de nossas tradições veicular os avisos de falecimentos pelo alto-falante da igreja matriz. Antecedendo ao aviso, é executada uma peça musical, já conhecida por todos e que motiva sempre os mesmos comentários: “-Alguém morreu! -Escuta a nota!”
Na rua as pessoas param; às janelas surgem ouvidos atentos. A execução musical dá o tempo necessário a que todos estejam prontos a escutarem a narrativa do sacristão: “-Nota de falecimento. A família de Fulano de Tal comunica o seu falecimento…” A identificação do finado é completada pelo seu relacionamento familiar ou profissional, citando onde o velório será realizado e horário do sepultamento. Após a nota fúnebre, novamente é executada a música, encerrando a funesta obrigação.
Não sei quem escolheu, nem quando foi escolhida a música para esses avisos. Mas foi uma boa escolha: Träumerei, do compositor do romantismo alemão Robert Schumann.
Originalmente esta peça era um andamento para piano solo, integrante da obra “Cenas da Infância”, composta por 13 andamentos que representavam as reminiscências que Schumann tinha de sua infância. Em carta destinada à sua esposa, Schumann declarava que as as músicas dessa obra deviam expressar a nostalgia que sentimos ao lembrarmos do tempo de criança. Esta peça teve muitas versões e interpretações.
A tradução de Träumerei, no contexto da obra, é o momento em que a criança encontra-se a sonhar. Como sonhamos no momento em que estamos dormindo, aí revelou-se a reconfortante sensibilidade na escolha da música, que parece dizer-nos: -Calma, silêncio… êle dormiu…
Ouçam o arranjo orquestral e a interpretação dada por André Rieu, clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.