Centro de Carmo de Minas - destaque

Fotografia de Carmo de Minas em 1918

Esta fotografia, que a estimada Sra. Alba Coli Ribeiro gentilmente cedeu para ser copiada em meio digital, possui status de verdadeiro documento histórico. Ela registra a então pujante Silvestre Ferraz, centro cultural  e de destacada produção cafeeira. Não pode haver registro histórico que nos seja mais caro, que nos toque mais intimamente que essa fotografia. As nossas ruas e ladeiras, as casas que foram de nossos familiares, eles que construíram e habitaram o Carmo do Pouso Alto, Carmo da Cristina, Carmo do Rio Verde, Silvestre Ferraz, e que nós conhecemos como Carmo de Minas. Se olharmos atentamente para a foto, poderemos reconhecer o que havia no lugar em que hoje encontra-se erguida a nossa casa; o que foi construído onde antes era terreno baldio; e tudo o que resistiu à voracidade do tempo e perdura até a atualidade.

Foto do Cartório Panoramica
Foto Silvestre Ferraz 1918 – Original

Veja a Fotografia de Silvestre Ferraz em 1918, após tratamento da imagem.

Centro de Carmo de Minas
Centro de Carmo de Minas
A área central de Carmo de Minas, que na época concentrava a maior parte do casario. O jardim público era apenas uma área arborizada. O conjunto de casarões ao redor do jardim causa impressão ainda hoje, e mostra a vitalidade econômica da cidade.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo
Igreja de Nossa Senhora do Carmo
O primeiro destaque é a Igreja Matriz. Muito se fala, na história de Carmo de Minas, ter sido o Padre Cardoso o construtor de nossa igreja. Entretanto, essa que aparece na fotografia é, com certeza, anterior à chegada do Padre Cardoso, que viria a ocorrer em 1919. Uma edificação monumental para a cidade nessa época. O frontão, a fachada e as torres estão idênticas às de hoje. A principal alteração ocorreu nas alas laterais, principalmente com a localização das portas e do telhado.

Forum
Forum
O Forum, construção de cuidadoso estilo arquitetônico, ainda com sua fachada em obras, como podemos constatar pelos andaimes montados à altura das janelas do piso térreo. Hoje, podemos ver na fachada a data de inauguração, 1919.

Estação Ferroviária Silvestre Ferraz
Estação Ferroviária Silvestre Ferraz
A Estação Ferroviária de Silvestre Ferraz, tendo um pouco mais ao fundo a caixa d’água de ferro, fabricada na Inglaterra, que é de propriedade da RFFSA, e da qual não temos informação do paradeiro. Precisamos recuperar essa caixa d’água, que em outras cidades faz parte dos bens históricos.

Cruzamento das ruas D Pedro II e Luiz Gomes
Cruzamento das ruas D Pedro II e Luiz Gomes
Uma cena em que aparecem as ruas Luiz Gomes, em primeiro plano, seguida pelas ruas Cel. Antonio Ribeiro, Cap. Antonio Jose e João Coelho. Aparecem, também, as ladeiras D. Pedro II, à esquerda, e Gabriel Ribeiro, à direita no alto. Do casario, várias podem ser reconhedidas e algumas ainda existem.

Rua dos Operários
Rua dos Operários
O alto da Rua Gabriel Ribeiro, em seu entroncamento com a Rua dos Operários, mostrando que o limite superior da cidade já havia sido atingido.

Rua Ana Umbelina
Rua Ana Umbelina
Rua Ana Umbelina, ponto inicial da urbanização de Carmo de Minas.

Parte alta do Jardim
Parte alta do Jardim
Parte alta do Jardim, no cruzamento com a Rua Francisco Isidoro.

Casa das Tres Barras
Casa das Tres Barras
Do mesmo lado, na parte de baixo do Jardim, ao lado da antiga casa das Tres Barras.

Casa de Antonio Coli
Casa de Antonio Coli
Em primeiro plano, a casa da esquina, à esquerda, onde em tempos mais recentes morou o saudoso Jose Walter Coli, reconhecido por ser possuidor de uma extrema bondade no trato com todos os carmenses. No terreno à direita, hoje ergue-se o prédio do Grupo Escolar Gabriel Ribeiro, e do outro lado da rua, cruzamento da Rua Luiz Gomes com a Rua Tonico de Moura, hoje encontramos o prédio da Prefeitura Municipal. Subindo a ladeira, na esquina com a Rua Direita (Rua Cel. Antonio Ribeiro), localizava-se a venda do Sr. Antonio Coli. Mais ao alto, na esquina com a Rua Cap. Antonio Jose, do lado esquerdo da ladeira, a residência da família Coli.

A seguir, exemplo de duas fotografias, tiradas em distâncias e iluminação diferentes, nas quais realizamos alguns ajustes com editor de imagens. Experimentem ampliar a visualização ( normalmente pressionando e mantendo pressionada a tecla ctrl, e pressionando a tecla + ).


Centro (com tratamento da imagem)


Lado oeste (com edição da imagem)

Durante alguns dias este post terá atualizações, com inclusões de novos detalhes da Fotografia de 1918. Em breve será publicado um album com aproximadamente 50 fotos, formando um mosaico da mesma.
Novamente gostaríamos de apresentar nossos agradecimentos à familia Coli Ribeiro pela preservação desta tão importante fotografia, em especial ao casal Nadir Ferraz Ribeiro (In Memoriam) e Alba Coli Ribeiro. Rendemos, também, nossas homenagens às irmãs Diva e Dalva, filhas da Sra. Alba Coli Ribeiro, que compreenderam ser a digitalização da fotografia o meio que permitirá sua preservação virtual, além do livre acesso a todos os carmenses desejosos de visitar a cultuada Silvestre Ferraz de 1918. Vocês merecem nossos parabéns!

Finalmente, em 8 de Fevereiro, terminamos a edição da Fotografia de Silvestre Ferraz em 1918.
Foi corrigida a inclinação da foto, um artifício do qual o fotógrafo lançou mão com o propósito de permitir o enquadramento da panorâmica a uma impressão com 18 cm de altura.
Os encaixes de montagem das quatro fotos não foram alterados. Esses encaixes são mostrados como linhas oblíquas (na fotografia original eles são perfeitamente verticais), mas observem que as construções estão a prumo.
Propriedades da imagem:
Tamanho em Pixels: 9.676 x 1.700 px.
Número de Pixels: 16.449.200 px.
Padrão de cor: RGB.
Tamanho do arquivo: 2,1 MB.

Foto Silvestre Ferraz 1918 - Reposicionada
Foto Silvestre Ferraz 1918 – Reposicionada

Temos essa fotografia em diversos tamanhos de arquivo, indo desde o arquivo ora publicado, com 2,1 MB, até uma imagem de 44.147 x 8.372 pixels, total de 369.598.684 pixels, resolução de 1.200 x 1.200 px, arquivo com 210 MB. Devido ao tamanho destes arquivos, só poderemos fornecer cópias a quem trouxer CD, DVD ou pendrive para gravação. Alertamos que a imagem publicada neste artigo é plenamente suficiente para visualizaçao em monitores, só sendo necessário uma maior resolução para quem quizer imprimir uma foto com 2 metros de largura e de alto custo de produção. Será dada notícia sempre que fizermos alguma melhoria na edição da mesma, garantido que todos os interessados tenham a melhor imagem de Silvestre Ferraz em 1918.

4 comentários em “Fotografia de Carmo de Minas em 1918”

  1. Diac. Leandro Santos

    Estando distante de minha terra, sentindo o peso da saudade afugentar meu coração, encontro nestas páginas (dentre outras) um acalanto que refresca a dor da ausência. Como amo meu Carmo…..de ontem, de minha infancia, de hoje, e da certeza de que ainda retornarei (feliz) à minha querida terra…
    Parabéns aos que idealizaram tamanho tesouro histórico…
    Deus seja louvado por isso!

  2. Jose Mauricio Ferreira

    Jose Mauricio Ferreira
    Meus Pais:
    Mario Pedro Ferreira e Zilda Marques Ferreira
    zeferreira@aol.com

    Obrigado pela apresentacao tao bem pequisada , de nossa Carmo
    de Minas, onde passei minha infacia, onde fui educado, Grupo escolar Gabriel Ribeiro, por saudosa Professora Dona Alice Brito, Aparecida Nogueira, e diretora Dona Estela Toledo Brito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.