Freguesia de Nossa Senhora do Carmo em 1884 – 10 Anos Depois

Transcrição do AlmanaK Sul-Mineiro para 1884, de autoria de Bernardo Saturnino da Veiga, capítulo referente à freguesia de Nossa Senhora do Carmo do Rio Verde, hoje Carmo de Minas.

Almanak Sul-Mineiro para 1884

Poucas povoações do Sul de Minas têm o gracioso aspecto do Carmo do Rio Verde, observado da montanha que lhe fica fronteira, e que é atravessada pela estrada que vem ter a Campanha.
As casas parecem dispostas em ordem e com perfeito alinhamento;  divisa-se toda a praça principal da povoação, tendo quase em seu cimo a bela matriz, com duas bonitas torres, sempre bem tratada, e que é uma das melhores igrejas do sul da província; além, o cemitério, fechado com muros de taipa e em estado regular; em outra direção, a capela de São Sebastião, e disseminadas por toda a extensão da localidade, que tem regular e ainda não extinto patrimônio, cerca de 150 casas, algumas de sobrado, formando um todo agradavel, que muito realça a formosa colina em que se assenta esta florescente povoação.
Nossa Senhora do Carmo é padroeira do lugar, que era conhecido pelo nome de Carmo de Pouso Alto, que lhe tirou a Lei n. 3058, de 28 de Outubro de 1882, dando-lhe o de Carmo do Rio Verde, sendo freguesia, por decreto, desde 14 de Julho de 1832.
A localidade possui um teatro regular, com 2 ordens de camarotes e acomodações para mais de 500 pessoas, e que foi construído por meio de uma associação; uma banda de musica e 5 pianos.
É bom o clima do Carmo, que já foi vítima de uma epidemia de varíola. Vivem na paróquia 12 morféticos e um louco; tem-se aumentado a população que é hoje calculada em 6.000 almas.
Em 14 de Julho de 1875, cuidando-se em tirar uma casa de maribondo no telhado da capela mór da matriz, comunicou-se o fogo à igreja, consumindo grande parte do altar mór. O povo acudiu sem demora ao lugar do sinistro, e aos esforços de todos, e especialmente do digno vigário da paróquia, se deve o fato de se ter salvo das chamas o bom templo da freguesia.
Não é regular o abastecimento d’água à povoação, onde há cisternas de 40 a 120 palmos de profundidade, servindo igualmente às necessidades públicas a água de um corrego que passa ali.
Há duas aulas públicas para ambos os sexos, tendo cada uma a frequência aproximada de 30 alunos.
Em um acreditado colégio de meninos, dirigido pelo virtuoso e Revmo. Padre Antonio Gomes de Faria Nogueira, que conta 40 alunos, ensina-se todos os preparatórios exigidos para matrícula nos cursos de instrução superior existentes no Império. Há mais dois colégios para meninas, tendo um a frequência de 35 alunas e o outro 8, sendo eles dirigidos pelas Exmas. e distintas Sras. D. Anna Mallet e D. Izabel de Souza Rodrigues.
Em 1880 concluiu seus estudos na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro o Dr. José Paulino Ribeiro Gorgulho, distinto filho deste lugar, de onde também é natural Augusto Cesar Ribeiro Alckmim, que em 1883 se matriculou no 5° anno da mesma academia.
Nos últimos dez anos perdeu a freguesia os seguintes e distintos cidadãos: Dr. João Capistrano Ribeiro Alckmim, coronel Antonio José Ribeiro de Carvalho, José Roque de Souza Rodrigues, José Antonio da Silva Pinto, Candido Luiz Gonçalves de Noronha (19 de Maio de 1876), Joaquim José de Faria e Souza (2 de Outubro de 1880) e Fortunato de Moura Monteiro Junior (4 de Dezembro de 1882, todos notáveis pelo merecimento que os distinguiu e que tão estimado os havia tornado no lugar, pelo qual com tão sincera boa vontade se desvelaram.
A freguesia, que pertence à comarca eclesiástica de Baependi, nada tem recebido de verbas dos cofres públicos.
A Este do Carmo e a 1 e 1/2 légua de distância, na margem do rio Verde, lugar denominado Viana, encontra-se uma fonte de águas férreas e gasosas, ainda não analisada e nem beneficiada, que tem sido de excelente resultado para diversas enfermidades.
A freguesia tem de Norte a Sul a extensão de 4 léguas e do Leste a Oeste, 7 léguas. Os terrenos são montanhosos, em geral de matas e sujeitos a alguma geada. O alqueire de matas, custa de 60$ a 120$, e de campo, 100$. Há muita madeira de construção, vendendo-se a 18$ a dúzia de tábuas de pinho e a 30$, as de cedro.
O fumo é a cultura mais usada, engordando-se e criando-se miutos porcos e gado, para exportar para a Côrte. A exportação do fumo é de cerca de 12.000 arrobas e a de toucinho, de 10.000 a 12.000 arrobas anualmente.
Fabrica-se queijos em grande quantidade, também para exportação, e velas de cêra.
Há abundância de caça de campo e mato.
A importação anual é de cêrca de 150:000$ pagando-se 1$ pelo transporte de cada arroba de cargas da Côrte pela estação da Boa Vista (13 léguas).
Mata-se uma res por semana, custando 4$ a arroba de carne com osso, um carneiro 33$, frango a $320, ovos a $240 a dúzia, leite a $80 réis a garrafa, sal a 3$ a saca, açucar de 7$ a 8$ a arroba, lenha de 4$ a 5$ o carro, pedra a 2$500, cal, de Lavras, de 2$ a 2$500 o alqueire, aluguel de casas de 7$ a 12$ por mês, pedreiros a 3$ por dia, carpinteiros de 3$ a 5$, trabalhadores de roça de $800 a 1$.
O correio, que da Boa Vista, estação da estrada de ferro D. Pedro II, vai a Campanha, de 2 em 2 dias, passa nesta freguesia.
A Este da povoação e a 4 léguas de distância, está a cidade de Pouso Alto, passando-se a 1 e 1/2 légua o rio Verde; ao Sul e a 6 léguas, Virgínia, passando-se a 2 e 1/2 léguas o ribeirão da Palma; a Sudoeste e a 4 léguas, a cidade de Cristina, sede do Termo e Comarca; ao Oeste, e a 7 léguas, S. Sebastião da Pedra Branca, passando-se a 4 léguas o rio Lambari; a Noroeste e a 5 léguas, Lambari, passando-se a 3 léguas a serra dos Criminosos e a 4 e 1/2 léguas, o rio Lambari; ao Norte e a 6 léguas, Conceição do Rio Verde, passando-se a 2 léguas o rio S. Pedro; a Nordeste e a 5 léguas, Caxambu, e a 6 léguas, Baependi, na mesma direção, passando-se a 2 léguas o rio Verde.
O Carmo dista da Campanha 10 léguas, da Côrte, 54, de Ouro Preto 60, e da ponte do Carmo, onde se está construindo uma estação da estrada de ferro do rio Verde, 1 e 1/2 légua.
A Sudeste e a 3 léguas, existe o bairro da Bocaina, que tem mais de 40 casas de lavradores modestos. Está criada neste lugar uma aula pública de instrução primária para o sexo masculino.
A freguesia pertence ao 11º distrito eleitoral.

Municipalidade
João Francisco Lima, Alinhador.

Justiça
Francico Batista Ferrer, 1° Juiz de Paz.
João Dias de Castro, 2° dito.
Antonio Ribeiro da Luz Junqueira, 3° dito.
Antonio Gomes de Faria Nogueira, Padre, 4° dito.
Antonio Roque de Souza Rodrigues, Escrivão.
Joaquim Rodrigues da Cunha, Oficial de Justiça.
Mathias Rodrigues da Cunha, idem.

Polícia
Francisco Izidoro da Silveira Pinto, Capitão, Subdelegado.
Antonio Roque de Souza Rodrigues, Escrivão.

Correio
João Luiz Gonçalves de Noronha, Capitão, Agente.

Instrução Pública
José Paulino Ribeiro Gorgulho, Dr., Delegado.
Thereza de Jesus Nogueira, D., Professora.
Jovino Nogueira de Paiva, Professor.

Instrução Particular
Anna Mallet, D., Diretora do colégio de meninas.
Izabel de Souza Rodrigues, Professora.
Antonio Gomes de Faria Nogueira, Padre,Diretor do colégio de meninos.
Francisco Xavier Nogueira, Professor.
Inácio Joaquim Nogueira, idem.

Igreja Matriz
José Inácio de Faria Nogueira, Conego, Vigario.
Antonio Gomes de Faria Nogueira, Padre, Coadjutor.
Joaquim Leonel Correia, Sacristão.

NEGOCIANTES, PROFISSIONAIS, ETC.

Açougue
Fortunato de Souza Monteiro.

Alfaiates
Domingos Pereira Jardim.
Francisco Anselmo da Motta.
Gorgulino de Paula Garcia.
Manoel José de Moraes.

Bilhar
José Maria do Nascimento.

Capitalistas
Antonio Correia de Carvalho.
Custódio Ribeiro Junqueira.
Fortunato de Moura Monteiro.
Francisco Ribeiro Junqueira, Coronel.
Gabriel Ribeiro Junqueira, Coronel.
Joaquim José Ribeiro de Carvalho, Alferes.
Manoel José Ribeiro de Carvalho Guimarães.

Dentistas
Ernesto Mallet.
Francisco da Silva Gorgulho.

Farmácia
Francisco Alvares de Barros

Fazendas, etc., Negociantes de
Alfonso Luiz Soares de França.
Antonio Coli & Irmão.
Antonio Ferreira da Silva Porto.
Antonio Gomes Franqueira.
Braz Marsilha Junho.
Caetano Maria Junho.
Domingos Gomes Franqueira.
Domingos Martins &Cia.
Francisco Atanázio de S. Miguel.
Francisco Ferreira dos Reis.
Pascoal Magro.
Rafael & Rafael.

Fazendeiros
Americo Dias de Castro.
Antonio Alves Pereira.
Antonio Correia Simões.
Antonio Joaquim de Castro.
Antonio José de Souza.
Antonio José de Souza Rodrigues, Capitão.
Antonio Ribeiro da Luz Junqueira.
Augusto Cesar Ribeiro de Alckmim.
Custódio Ribeiro Junqueira.
Domingos Fernandes Maciel.
Domingos Teodoro Junqueira.
Emídio Bezerra de Almeida.
Fortunato de Moura Monteiro.
Francisco Dias de Castro.
Francisco Isidoro da Silveira Pinto.
Francisco Lobo de Almeida.
Francisco Mario de Moura Rangel.
Francisco Ribeiro Jungueira.
Francisco Teodoro de Paiva.
Gabriel Dias de Castro.
Gabriel Ribeiro Junqueira, Coronel.
Gabriel Ribeiro Junqueira Junior, Capitão.
Guilherme José de Souza.
João Antonio de Oliveira.
João Antonio Ribeiro.
João Dias de Castro.
João Ferreira Campos.
João Gomes Nogueira Freire.
João Tiburcio Junqueira.
Joaquim Dias de Castro.
Joaquim Gonçalves Campos.
Joaquim José da Guerra.
Joaquim José Ribeiro de Carvalho, Alferes.
José Corrêa Simões.
José Ferreira de Faria.
Luciano de Paula Pereira.
Luiz Capistrano Ribeiro Alckmim.
Luiz José Monteiro de Noronha, Capitão.
Manoel Bernardes de Oliveira.
Manoel Carneiro de Paiva.
Manoel Francisco Ribeiro, Capitão.
Manoel José Ribeiro de Carvalho Guimarães, Capitão.
Marianna Tridentina Junqueira, Dª.
Olímpio Ribeiro de Oliveira.
Vicente Ferreira Guerra.
Vicente José da Guerra.

Fazendeiros, com engenho de serrar
Emídio Bezerra de Almeida.
Gabriel Ribeiro Junqueira, Coronel.
Luciano de Paula Pereira.
Luiz Capistrano Ribeiro Alckmim.

Ferrador
Lourenço Saturnino de Arruda.

Ferreiros
Camilo Gonçalves da Silva.
José Pedro e Alcantara.

Fotógrafo
Domingos Abrahão.

Hotel
Carlos Gomes Nogueira.

Marceneiro
Gabriel Batista Ferrer.

Médico
José Paulino Ribeiro Gorgulho, Dr.

Molhados, etc., Negociantes de
Luiz Soares da França.
Angelo Maria Junho.
Coli & Irmão.
Antonio Carlos de Moura Rangel.
Antonio Gomes Franqueira.
Antonio Roque de Souza Rodrigues.
Braz Maiselh Junho.
Domingos Martins & Cia.
Francisco Atanásio de S. Miguel.
Francisco Batista Ferrer.
Francisco Ferreira dos Reis.
Francisco José Barbosa.
João Florabella. .
João Luiz Gonçalves de Noronha, Capitão.
Joaquim Miguel de Almeida.
José Miguel de Almeida Lourenço.
Lourenço Saturnino de Arruda.
Pascoal Magro.
Pascoal Marinho
Rafael & Rafael.

Música
Quintino Lemes da Costa. Diretor e Professor.

Olaria
Antonio Ribeiro da Luz Junqueira.

Ourives
Antonio Lemos da Costa.
Inácio José da Silva.
José Maria Junho.

Rancheiros
Ana Engracia de Noronha, Dª & Cia.
José Casimiro de Paula.
Luiz José Monteiro de Noronha, Capitão.

Relojoeiro
Francisco Anselmo da Motta.

Sapateiros
José Bento de Souza.
José Pedro de Mello.
Manoel Antonio de Almeida.

Seleiros
Francisco Pimentel.
Roque de Souza Magalhães.

Tropeiro
Antonio Monteiro de Noronha.

Velas de cêra, Fabricação de
João Vicente Moreira.

1 comentário em “Freguesia de Nossa Senhora do Carmo em 1884 – 10 Anos Depois”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.