O pequeno jornal

Autoria: Nóbrega da Silveira
Publicado na Folha Nova, nº 1.983,
em 7 de Agosto de 1955

Sempre que abro e releio o livro do passado,
Aos meus olhos ressurge um pequeno jornal,
Modesto e sem clichês, feio, mal paginado,
Folha do interior, simples, dominical.

Nunca teve, por certo, um número esgotado,
Liam-no tão somente os filhos do local.
Tratava de “excelência” o juiz e o delegado
E abria com um soneto a cronica social.

Apesar de modesto, é com enorme saudade
Que dele eu me recordo, e também da cidade
Longínqua e pequenina, onde há tempos nasceu.

Ruas sem movimento… A escola… Uma igrejinha…
A farmácia da esquina… A cidade era a minha.
A mais linda do mundo!  E o soneto era meu!

Nóbrega da Silveira
Agosto de 1955

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.