Palavras para o meu dicionário

Eu prometi para mim mesma que dessa vez não escreveria sobre sentimentos. Escreveria sobre outra coisa qualquer, mas ainda não tinha uma idéia.
Vasculhei em minha mente alguma palavra aleatória da qual eu pudesse fazer um escrito bacana. Tarefa difícil. Pensei, pensei, pensei e nada me veio à mente.
E repetia para mim mesma: eu não vou falar de sentimentos, não vou falar de sentimentos, não vou falar de sentimentos.
Folheei o dicionário e minha atenção dirigiu-se para a palavra “Coisa: Tudo o que existe”.”
Será que eu iria escrever sobre “coisas”? Mas se coisa é tudo que existe, isso abrangeria também os sentimentos. Desisti de usar essa palavra.
Olhei para minhas unhas recém pintadas de azul. É isso! Escreveria sobre as cores.
Pensei: “Cores tem significados, elas sempre lembram alguma coisa”. E aí estava a coisa, novamente. E o que me lembrava o vermelho? Exatamente, lembrava-me de sentimentos, de fortes emoções. E eu não queria falar sobre sentimentos. Principalmente os meus. Não escrevi frase alguma dessa vez.

Um texto para o dicionário
Um texto para o dicionário

Olhei para todos os cantos do meu quarto em busca de alguma inspiração. Vi um chaveiro de pimentas. Mas duvido que esse objeto me fizesse escrever mais do que três linhas que despertassem algum interesse.
Pousei o olhar em uma foto minha quando criança, mostrando meu sorriso aberto, franco. Mas ao lado tinha uma outra foto minha, atual, e fugi de qualquer comparação. Comparar esses dois momentos não era minha intenção, os sentimentos mudaram. Não que eu esteja infeliz. É que talvez a minha infância me trouxesse muitas lembranças boas e não precisava ficar nostálgica agora.
Olhei para o dicionário ao meu lado, me auxiliando nessa minha tarefa de agrupar frases com sentido. Ele tinha tantas palavras escritas, que acho que não precisaria de palavras minhas para se sentir melhor. Pensando bem, acho que ele não sente nada em momento algum. E me pego falando de sentimentos, mesmo que sejam os prováveis sentimentos de um dicionário.
Talvez ele não fosse tão auto-suficiente assim. Talvez eu escrevesse para ele. Talvez. Isso ficou meio estranho: “ – O dicionário é uma coisa, Isabela. Ele não sente!”
Eu sei disso. Acho que de tanto não querer escrever sobre os meus sentimentos, acabei fazendo isso.
O lado bom é que meus sentimentos não ficaram explícitos aqui. Desculpe se isso ficou um tanto quanto embaralhado e sem nexo. Mas se é assim que me sinto, como poderia ser diferente?
Pronto, acabei dizendo como estou me sentindo. Acho que não consigo mesmo escrever de uma maneira impessoal.
Talvez o dicionário pense que esse texto seja para ele, e fique feliz. Aproveite a leitura, meu querido dicionário. Dedico esses meus sentimentos a você…

2 comentários em “Palavras para o meu dicionário”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.