Rabanada de Natal

rabnaada


Dizem que é só um doce.
Eu acho que não.
Rabanada é uma tradição.
Já vi mineiro perder o trem
Por causa da rabanada
Servida no bar da estação.
Não existe nenhum requinte,
A receita é um trivial:
Leite, açúcar, ovo e pão.
Mas existe uma certa magia
Nesse doce tão prosaico:
Ele é símbolo do Natal.
A família reunida,
A árvore cintilando,
O presépio dourado,
Presentes embrulhados,
A champagne destampada
E na mesa… a travessa de rabanada.
Pode ser ilusão da infância,
Pode ser história contada,
Mas uma festa de Natal
Não é completa, sem rabanada.

Plinio Guarany
Poeta Menor
Cruzeiro, Natal de 2014

1 comentário em “Rabanada de Natal”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.