Categoria: Poesias

Carmo de Minas

Poesia de Fátima Cléu, a pedido da professora Gueisa Maria Costa Brito, para as comemorações do aniversário da cidade, no ano de 1970. És a cidade mais bela deste grande Sul de Minas: teu céu é todo estrelado, flores cobrem-te as campinas. Lindo Carmo idolatrado! Como esplende este teu dia! Tudo canta e tudo vibra, …

Um Caixote, um Carrinho

Receita: Doces lembranças que o tempo levou, Meus brinquedos de coisa encostada. Material: Um caixote de pinho, abandonado. Duas rodas que do tico-tico ficou. Duas ripas, sobras de um estrado. Meia lata de tinta que o pintor deixou… Montagem: Pegamos o caixote, já lixado, Colocamos as rodas com parafusos, Um ripa pregada em cada lado, …

Aniversário da Cidade

Faz tempo que escrevi esses versos para a Ana Clara, filha do Tatau, declamar no dia da cidade. Versos simples para criança entender… Carmo tem os seus encantos. Quem viveu nele conhece, Mesmo vivendo distante, A gente jamais esquece. Pescar lambari na ponte, Nadar nas cachoeiras, Comer frutas nos quintais, Subir nas jabuticabeiras. Ir andar …

O Carro de Bois do Campo Redondo

Autoria: Natália Coli de Brito. Do livro “Campo de Flores”, edição de 2001. Lá vai o carro de bois Pela estrada poeirenta. Arcados, ao peso da carga, Vão os bois em marcha lenta Estrada afora. Tranquilos, Tangidos pelo carreiro, Homem afeito ao trabalho, Tem por guia o candeeiro, Menino de olhos claros, Pés descalços, aberto …

Protocolo escolar

Grupo Escolar Arnolpho Azevedo – Cruzeiro – 1943. O bedel, seu Mota, bate a sineta. Todos alunos, em recreio, param de brincar e vão lavar as mãos. Em seguida entram em fila indiana em silêncio absoluto. O diretor Palazzo observa da varanda. Os alunos cantam o Hino Nacional e dirigem-se para as salas. A Profa. …

Carro de boi

Símbolo maior dos campos. Rodas cantam árias de tenores. Transporte seguro nas fazendas. Tema nostálgico dos pintores. Puxando o carro morro acima, São três juntas de bois treinados. A primeira junta são “bois de coice”. Aguentam o peso do carro tarado. A segunda junta são os “bois de corpo”. Ao comando da vara-ferrão, Puxam o …